Em toda a regra sempre há uma excessão.

Hoje, sabe-se lá porque cargas d’água, Logan resolveu fazer birra para dormir. Sabe aquela coisa chata de lutar contra o sono? Esfregar os olhinhos, resmungar, gritar “uuulhéééooo!” e esfregar os olhinhos de novo. E os pais sempre na dúvida: “Mas o que ele tem hoje?”

E começam as especulações: “será fome?”, “será que a fralda tá suja”, “fez cocô, bebê?”, “foi por causa da sopa ruim do pai?”, “você quer mesmo voltar à questão da sopa? Tem certeza disso?”. E com as especulações, vêm as checagens de rotina:

Fralda? OK. Roupa seca? OK. Papinha? OK.

Tudo OK. Nenhuma pendência. Queria eu que minha vida se resumisse ao estado de minhas fraldas — não que eu as use — e à quantidade de papinha que ingeri…

Mas, no mundo de Logan é tudo assim simples. E quando a birra chega, chega também a hora em que um homem tem que mostrar que é homem e, mais do que isso, mostrar que é o homem da casa (nem faça essa cara de “mas ele só tem oito meses, seu monstro!”). Certas atitudes precisam ser tomadas no momento certo.

E foi nesse exato momento — porque, assim como os magos, os pais tomam as atitudes necessárias no momento apropriado, nem antes, nem depois (citação obrigatória à Senhor dos Anéis, filme dirigido por Peter Jackson) —, que peguei o pequenino no colo, levei-o até o berço e encostei a porta.

Após cinco minutos de “uuulhéééooo!”, o silêncio era total. Logan dormia de lado e sem apoio (explico isso numa outra ocasião), como um bebê.

Tá bom, eu sei que ele é um bebê e que bebês dormem como bebês… já vi muito bebê dormir pra saber como é que eles dormem. Mas se você não colaborar, não vamos ter magia nenhuma neste texto. E nós gostamos de textos com um pouco de magia, não gostamos? Ééééé claro que sim!!!

Boa noite, pessoal. Boa noite, Logan. Boa noite, John Boy.