Antigamente, por conta falta de informação, as famílias “escondiam” a pessoa com síndrome de down em casa. Muitas vezes, essas pessoas cresciam sem aprender a falar, ler e escrever o próprio nome ou até mesmo comer sozinho. Hoje, felizmente, os tempos são outros, e jovens nascidos com SD estão ganhando o mundo e mostrando que eles são tão capazes quanto qualquer um de nós de viver  a vida de forma plena, de concluir os estudos (inclusive de nível superior), inserir-se no mercado de trabalho e também de viver  a VIDA À DOIS!

Sim, senhores, qual seria o problema de uma pessoa com SD namorar, casar e ter uma família para chamar de sua? A ciência já mostrou que a maioria dos homens com SD tem baixa ou nenhuma fertilidade. Mas não são todos! As taxas também mostram que não é porque um dos pais tem SD que a criança vai obrigatoriamente ter também, a chance maior é quando ambos pai e mãe tem SD, mas, há casos que a criança não nasce com a trissomia. É claro que um bebê requer cuidados, todos os pais e mães precisam de uma ajudinha, as pessoas com SD também vão precisar do apoio dos pais e familiares, talvez um apoio um pouco maior, talvez na mesma medida.

Mas, filhos à parte – mesmo porque atualmente não existe mais aquela “pressão” da família para que um jovem casal tenha filhos o quanto antes –, vamos falar de namoro e casamento. Eu, como madrasta de menino com SD, ainda não consigo ver meu loiro lindinho namorando (risos) puxa vida, a gente cuida, dá banho, veste e depois vem um rabo de saia para querer o guri só pra ela! Não, não! Enfim, os relacionamentos são naturais, todo mundo tem direito a amar e ser feliz! No site UOL relacionamento, há uma matéria muito interessante sobre esse assunto, onde o geneticista Zan Mustacchi diz:

 “Percebemos um aumento no número de pessoas com Down que namoram, têm uma vida social boa. Há mais esclarecimento da sociedade, as famílias permitem mais e existem mais oportunidades”.

Fica o convite para todas as famílias refletirem no assunto e ajudarem seus filhos a serem cidadãos plenos e felizes em todas as facetas da vida! Abração!