aba

De acordo com a pesquisa, crianças com síndrome de Down possuem os mesmo comportamentos que as demais crianças em relação ao aprendizado

ababa

Foto: Cantinho da Prof. Ivani Gularte/Reprodução

 

Reportagem de Stela Arengheri, publicada no Jornal da USP em 5 de outubro de 2017, apresenta resultados de pesquisa realizada na Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP sugerindo que, apesar de precisar de mais apoio de colegas e professores, crianças com síndrome de Down podem realizar as mesmas atividades escolares que as demais. Os resultados evidenciam que elas são tão capazes quanto os outros alunos de realizar ações que envolvem os aspectos cognitivos, como pensamento, linguagem, percepção, memória e raciocínio.

O artigo segue dizendo que “de forma geral, as conclusões do estudo apontam que crianças com Down têm comportamentos similares às outras crianças. O que muda é a frequência desses comportamentos, ou seja, a quantidade de vezes que cada um dos grupos executa determinada ação. Nas crianças com Down essa frequência é menor. O ato de observar, por exemplo, que envolve atenção e está diretamente ligado à aprendizagem, é muito presente em todas as crianças, embora seja mais realizado por aquelas com desenvolvimento típico, isto é, que apresentam desenvolvimento dos aspectos biológicos, emocionais e sociais de acordo com o esperado para a idade”.

De forma resumida, o estudo mostra aquilo que pais e terapeutas de crianças com síndrome de Down defendem há anos: a forma de aprendizado é a mesma. O que se faz necessário são pequenas adaptações para se obter melhores resultados com jovens nascidos com a síndrome, mas a forma de aprender segue a mesma independente de ser uma criança regular ou Down.

A reportagem completa pode ser lida no site do Jornal da USP, clicando aqui.